Bióloga da UA descobre nova espécie de escaravelho no maior abismo da Terra

Uma nova espécie de escaravelho sem asas e sem olhos viáveis foi descoberto por Ana Sofia Reboleira, bióloga da Universidade de Aveiro (UA). A nova espécie foi encontrada na gruta Krubera-Vorónia, localizada na Abecássia, perto do Mar Negro, considerada o maior abismo da terra, onde o inseto vive em total escuridão.
"É um escaravelho cavernícola da familia Carabidae. Tem adaptações específicas à vida subterrânea, despigmentado, desprovido de asas e de estruturas oculares completas", descreve Ana Sofia Reboleira cujo trabalho se tem centrado nos últimos anos na área da Biologia Subterrânea. "Com cerca de 6 milímetros, é um escaravelho predador que se alimenta de animais mais pequenos que habitam a cavidade mais profunda do planeta", adianta a investigadora de pós-doutoramento no Departamento de Biologia e no Centro de Estudos do Ambiente e do Mar da Universidade de Aveiro.
Nas grutas onde a temperatura ambiente "é inferior a 5°C" a prospeção biológica exige, segundo Sofia Reboleira, "uma grande preparação técnica e física e uma grande resistência psicológica", sendo necessário permanecer "vários dias no interior da Terra" para onde "todo o equipamento é transportado pelos expedicionários ao longo dos seus mais de dois quilómetros de profundidade".
A bióloga e espeleóloga, Sofia Reboleira já tinha igualmente no currículo a descoberta em grutas portuguesas de quinze novas espécies.
espumas metálicas
footer_final-06
footer-07

univercidade@aauav.pt

Associação Académica da Universidade de Aveiro

Scroll Up