Procura-se Ministro do Ensino Superior!

Qual é o futuro de Portugal? Nós, estudantes universitários. O que se deve fazer com o nosso “futuro”? Prepará-lo, instruí-lo e dar-lhe todas as ferramentas necessárias para que um dia eleve o nome de Portugal ao mais alto nível. Assumimos que isto seja lógico. Então, porquê fazer o contrário? Sr. Ministro da Educação, onde está? Perdeu-se no caminho para o Ministério?
As Associações representantes dos estudantes do Ensino Superior, um pouco por todo o país, têm essa mesma função: representar e defender o estudante universitário e dar-lhe voz para lutar junto de entidades que normalmente não estão diretamente acessíveis a um estudante normal.

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, na pessoa do Sr. Ministro, o prof. Manuel Heitor, deveria servir para dar resposta às necessidades dos estudantes, procurando o melhor para os estudantes do país que se comprometeu servir. Mas até agora, parece que o Sr. Ministro ainda não conseguiu compreender esta simples ideia.
São já várias as situações em que o Ministério falha aos estudantes do Ensino Superior, não esquecendo também as próprias Instituições do Ensino Superior. Em todas essas situações, as Associações Estudantis estiveram sempre lá, lutando e defendo os seus estudantes. Mas o diálogo, forma ideal de resolver qualquer conflito existente, não funciona da melhor forma quando flui apenas numa direção. Assim, resta às várias estruturas associativas estudantis expôr o caso de forma a não perder aquela que não é uma batalha, mas sim um esforço conjunto pelo bem dos estudantes que deveria partir em primeiro lugar do próprio Ministério. 

Numa carta aberta ao Sr. Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, o Prof. Manuel Heitor, várias estruturas associativas estudantis condenam as ações do Ministério da Educação, tendo sido a gota de água a recente solicitação aos Serviços de Ação Social o comprovativo de pagamento das prestações referentes ao alojamento dos estudantes que usufruem das residências dos Serviços de Ação Social. 

"O MCTES infelizmente não tem apresentado preocupação relativamente ao futuro do Ensino Superior. Face a esta atitude as nossas Academias não poderiam ficar indiferentes. Enquanto permanecerem as ausências de respostas, significa que não encontramos o que tanto se procura: um futuro para o País.”, salienta Xavier Vieira, Presidente da Direção da Associação Académica da Universidade de Aveiro, uma das estruturas subscritoras da carta aberta.


Tendo a carta sido enviada com o conhecimento do Presidente da República Portuguesa, do Primeiro-Ministro da República Portuguesa, dos Grupos Parlamentares da República Portuguesa e do Diretor-Geral do Ensino Superior, os estudantes solicitam a revogação imediata da diligência imposta pela Direção Geral do Ensino Superior e Serviços de Ação Social aos Estudantes, assim como o cumprimento da transferência dos valores orçamentais em falta, junto das instituições do Ensino Superior. 

Sr. Ministro, onde está? Está a ouvir? Somos nós, os estudantes, e pedimos-lhe que pare de hipotecar o nosso futuro.
footer_final-06
footer-07

univercidade@aauav.pt

Associação Académica da Universidade de Aveiro

Scroll Up