Sejamos Solidários

Foi um anfiteatro bem composto de estudantes que acolheu o Nobel da Paz que, em cerca de hora e meia, fixou os olhares atentos dos presentes.
Ximenes Bello UA
O Tema da "Conversa" teve como base o lançamento de uma "Campanha de Angariação de Bolsas de Estudo para Estudantes Timorenses da Universidade de Dili - Timor" organizada pela Associação Académica da Universidade de Aveiro em parceria com o Centro Universitário de Fé e Cultura. O lançamento desta campanha teve um outro ponto grande aquando da abertura da conta bancária de suporte a esta iniciativa (a conta foi aberta na Caixa Geral de Depósitos com o N°: 0123112000.630).

Na intervenção propriamente dita, D. Ximenes Belo não abordou a questão política dando principal destaque à campanha e aos seus objectivos dado que, em sua opinião, o que é importante é contribuir de uma forma prática e efectiva, para a formação dos estudantes em Timor. É com um incremento do índice cultural dos jovens timorense, que se pretende atingir o principal objectivo que é, como nos disse D. Ximenes Belo "salvar a identidade de um Povo".

É de referir que a Universidade de Dili é apenas frequentada por cerca de dois mil estudantes sendo a sua maior parte jovens de outras ilhas. A maioria desses estudantes sofrem de grandes carências e muitos dos quais dirigem-se à própria Diocese de Dili à procura de um apoio, apoio este extrema¬mente difícil de obter visto que, segundo D. Ximenes, "são cerca de 500 jovens que vêm bater à porta em busca de uma bolsa de estudo", o que faz com que muitos destes estudantes ao não o conseguirem, acabem por desistir dos seus cursos.

Ao terminar a sua intervenção, D. Ximenes Belo acabou por dizer que a intenção "é através disto (teatro, desporto, nas canções), salvar a identidade do povo de Timor. Sem dúvida que sofremos, mas também temos de levantar a cabeça, olhar para os grandes ideais de sobrevivência e do optimismo sobretudo para que, no meio deste grande perigo, a juventude levante a cabeça e diga: Eu timorense, estou vivo!"

Referindo-se novamente à campanha, um dos motivos pelo qual o trouxe até nós, o Nobel destacou a importância que esta poderá ter junto daqueles a que se destina, devido ao facto de haver uma grande e urgente necessidade em se melhorar o nível de recursos humanos dos timorenses lembrando que tanto nas empresas como na própria administração pública, estes são claramente postos de lado precisamente pelo facto da falta de quadros qualificados.

Outra coisa que urge combater, é a saída constante de jovens do território a que se deve mais uma vez, a falta das condições referidas anteriormente e que só faz com que "Timor fique sem timorenses" coisa que não se pode deixar que aconteça, referiu ainda D. Ximenes.

Sejamos Solidários 2
De salientar ainda a participação notável tanto do Orfeão Universitário de Aveiro como do Grupo Poético de Aveiro, que com as suas actuações dignificaram sobremaneira o evento.
Foi a pensar que cada estudante timorense "apenas" precisa de cerca de 12.000$00 para poder frequentar o ensino superior em Timor, e na mensagem que D. Ximenes nos deixou no ano transacto neste mesmo local, que a Associação Académica em parceria com o Centro Universitário de Fé e Cultura ao agarrar este grande desafio, se lançou com todo o empenho e com um forte espírito de solidariedade na efectivação e promoção desta campanha.

A campanha como se pode verificar foi avante, e a abertura da conta bancária foi feita simbolicamente durante a referida sessão com um cheque no valor de 12000$00 doado pelo Sr. Padre José Martins Belinquete que foi entregue na sede da Associação Académica há precisamente um ano e logo após a visita de D. Ximenes, acto este que serviu como um maior estímulo para a prossecução desta iniciativa.

A bolsa como já se disse visa ajudar o estudante universitário timorense a custear as suas despesas anuais de frequência na Universidade em Timor.

A atribuição da referida bolsa terá como base a sua situação sócio-económica. Se o estudante for realmente considerado como carenciado é-lhe cedida a bolsa.

Para o efeito, quem terá a responsabilidade de atribuir as verbas será a Diocese de Dili na pessoa de D. Ximenes Belo e da sua equipe (note-se ainda que os montantes depositados na conta serão movimentados sempre que se justifique e nunca passarão pela contabilidade nem da Associação Académica nem do CUFC).

Em jeito de conclusão gostaríamos apenas de referir que só com o apoio e a participação de todos é que poderemos ter o êxito desejado nesta campanha e dessa forma, com este projecto inédito, contribuir de uma forma efectiva e válida para o ensino e consequente formação de alguns timorenses cujo acesso à educação. (e a tantas outras coisas) é um pouco restrito, mas que não deixa por isso de ser um direito.

Sentimos que este projecto (que já deixou de o ser!) é uma boa maneira de demonstrar, de forma prática, que no meio de tanta contrariedade e injustiça, ainda há espaço para a Solidariedade.

footer_final-06
footer-07

univercidade@aauav.pt

Associação Académica da Universidade de Aveiro

Scroll Up